Monthly Archives: Maio 2006

Clever car (um triciclo a gás)

Clever Car

O Clever Car é um protótipo de veículo compacto de cidade com dois lugares e três rodas, movido a gás natural, dotado de um comportamento dinâmico sofisticado e que provou razoavelmente bem nos testes de embate. Este projecto, apoiado pela União Europeia (UE), envolve os seguintes países: Alemanha, França, Reino Unido e Áustria. Entre os parceiros do projecto contam-se a Technical University of Berlin (Berlim, GE), a University of Bath (Bath, UK), a Universität für Bodenkultur (Vienna, AT), a BMW (Munich, GE), o Institut Français du Pétrole (Lyon, FR) e a especialista austríaca em metais leves LKR. Um bom exemplo do que a UE pode fazer por nós, se entretanto dermos uma ajudinha, sabendo cooperar à escala europeia e tendo ideias largas.

O aspecto mais curioso deste projecto é o de ter sabido aliar um propósito estratégico de primeira importância (diminuir a dependência energética dos nossos transportes automóveis, diminuir as emissões de CO2 e diminuir o congestionamento de tráfego e de estacionamento existente em quase todas as cidades europeias actuais) com um conceito tecnologicamente ambicioso e uma forma/performance esteticamente atraente (sexy).

Podemos perfeitamente imaginar veículos deste tipo movidos não apenas a gás natural, mas também a hidrogéneo. Sobretudo podemos imaginar as cidades a determinarem zonas especiais de circulação reservadas a este tipo de transportes, e onde os actuais automóveis a gasolina e gasóleo não poderão circular. À semelhança das bicicletas brancas holandesas, estes veículos poderiam ser preparados para diferentes tipos de uso: individual privado, partilhado e com condutor (táxi).

Apesar do pessimismo que a actual crise energética inspira, o pensamento construtivo fica sempre bem e alivia as tensões. — AC-P

O erro da linha Sines-Badajoz

O erro da linha Sines-Badajoz

No passado mês de Janeiro de 2006, a REFER anunciou um investimento da ordem dos 750 milhões de euros, respeitante à conclusão da linha Sines-Casa Branca-Évora-Elvas-Badajoz, vocacionada para o transporte de mercadorias.

Porque foi proposta esta linha?

A linha Sines-Badajoz seria um erro histórico, que resulta do equívoco do T deitado e que isolaria os portos de Setúbal e Lisboa da rede europeia. A prioridade deveria ser dada à linha mista Lisboa-Badajoz e sua conexão aos 3 portos do Sul.

Mais um artigo oportuno de Rui Rodrigues, publicado no Público de 10 Abril 2006. TEXTO INTEGRAL